Record é condenada a pagar R$ 50 mil a youtuber por associá-lo a pedófilo; SBT pagará R$ 10 mil

Maicon Küster. Foto: Reprodução/YouTube

A TV Record foi condenada a indenizar Maicon Küster em R$ 50 mil por danos morais após associá-lo, em reportagem, a um pedófilo O SBT também foi condenado a pagar R$ 10 mil ao youtuber pelo mesmo motivo.

As duas emissoras fizeram uma reportagem associando-o a Syllas Souza, preso acusado de abusar de mais de 60 crianças. O criminoso usava uma foto de Maicon numa rede social, que foi exibida para ilustrar a matéria da prisão.

Emissora exibiu foto de “Loren Tralha”, personagem de Maicon Küster. Foto: Reprodução

Na Record, foi dito que a foto do perfil era do criminoso “de peruca”.

“Não há qualquer sombra dúvida de que a imagem do autor foi indevidamente associada à do verdadeiro suspeito pedófilo, sendo inequívoco o erro cometido”, escreveu o juiz Marcelo Augusto Oliveira na sentença contra a emissora.

A condenação contra a Record ocorreu na semana passada, pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

A do SBT, na semana anterior.

O advogado João de Senzi, que representa Maicon Küster, havia pedido R$ 100 mil de indenização à emissora de Edir Macedo.

Ao DCM, ele afirmou que o valor da condenação é “compatível” com os padrões brasileiros:

“Nos Estados Unidos as indenizações são bem maiores que no Brasil. É importante fazer essa diferenciação, pois somos acostumados a ouvir sobre as indenizações milionárias nos Estados Unidos e isso nos condiciona a acreditar que o valor arbitrado no caso da Record é baixo, mas nos padrões brasileiros é algo compatível com o erro absurdo que a TV Record cometeu”.

Já sobre o valor de indenização da ação contra o SBT, ele afirma que ficou abaixo do esperado, mas que o objetivo era por justiça:

“No caso do SBT o valor está abaixo do que acreditamos ser o devido, mas não procuramos ganhar dinheiro no tribunal. A busca do meu cliente era por justiça e o Tribunal de Justiça de São Paulo garantiu isso ao Maicon”.

Diante da possibilidade de as emissoras recorrerem da decisão, ele afirma:

“Caso eles recorram isso também abre um prazo para nós ingressarmos com recurso. É o que faremos. Se eles recorrerem entraremos com o recurso adesivo para aumentar as indenizações”.

Leia também: Mesmo após retratação, Maicon Küster processará Record, que o associou a pedofilia: “calúnia”, diz advogada