Mantega diz que em 2022 poderá “enterrar” o bolsonarismo com retomada econômica

Veja Mantega
Guido Mantega em entrevista ao DCM TV. Foto: Reprodução

Ex-ministro da Fazenda entre 2006 e 2014, Guido Mantega escreveu na Folha de S.Paulo sobre bolsonarismo, 2022, retomada econônica e a crise em que o Brasil se meteu.

LEIA MAIS:

1 – Batata: Internado, Bolsonaro faz proselitismo da facada

2 – Saiba por que o bitcoin é pior que um esquema de pirâmide

3 – Onyx Lorenzoni tem dívida com a União

O que diz Mantega?

Ele inicia o artigo, com o título “Bolsonarismo levou Brasil à crise, e retomada virá com o seu fim”:

“No final de 2022 poderemos comemorar o enterro de um dos piores governos da história republicana brasileira. Se for feita uma autópsia no cadáver do bolsonarismo, serão descobertos fortes indícios de um neoliberalismo anacrônico, que não é mais praticado em nenhum país importante do mundo.

A economia brasileira terminou 2021 estagnada e vai continuar assim por todo o ano de 2022. De acordo com a pesquisa Focus do Banco Central (03/01/22), o crescimento do PIB de 2022 não deve passar de 0,36%”.

E desenvolve o argumento:

“A fome e a pobreza continuarão aumentando ao sabor do descaso do governo. O auxílio de R$ 400 no Bolsa Família vai beneficiar apenas uma pequena parcela dos necessitados.

Para agravar essa situação, há um avanço da pandemia da Covid-19 e de novas gripes, que podem reduzir o crescimento dos países ricos, afetando diretamente as exportações brasileiras. O banco central americano (Fed) anunciou um endurecimento da política monetária em 2022, com elevação dos juros, o que deverá causar a saída de capitais estrangeiros do país.

Entre 2019 e 2022 o PIB brasileiro terá um crescimento médio de 0,5% ao ano. Um pouco melhor do que o decréscimo médio de -0,13% ao ano do governo Temer, entre 2016 e 2018”.

E conclui:

“O que está em jogo nas próximas eleições é se continuaremos com a política econômica desastrosa do governo Bolsonaro e de outros candidatos neoliberais, ou se vamos retomar a via do social-desenvolvimentismo rumo ao Estado de bem-estar social”.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link