Kennedy: Moro já isentou Bolsonaro e condenou imprensa no caso de laranjas do PSL

Kennedy Alencar. Foto: Reprodução/YouTube

Do blog de Kennedy Alencar:

O ministro da Justiça, Sergio Moro, já julgou e isentou eventual uso de caixa 2 na campanha eleitoral do presidente Jair Bolsonaro no caso dos laranjas do PSL mineiro. Também já condenou o trabalho da imprensa no mesmo tema.

Reportagem de Camila Matoso e Ranier Bragon na “Folha de S.Paulo” deste domingo revela que “ex-assessor e uma planilha implicam Bolsonaro e ministro em caixa dois” na campanha eleitoral de 2018. O ministro é em questão é o do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

Moro postou no Twitter que o presidente “fez a campanha presidencial mais barata da história”. E foi adiante: “Manchete da Folha de São Paulo não reflete a realidade. Nem o delegado nem o Ministério Público, que atuam com independência, viram algo contra o presidente da República neste inquérito de Minas. Estes são os fatos”.

Ora, numa democracia plena, um ministro da Justiça não pode opinar ou interferir em inquéritos da Polícia Federal. Delegados têm autonomia para fazer suas investigações. O Ministério Público e o Judiciário avaliam conclusões de inquéritos e tomam as medidas que julgam cabíveis e necessárias. Alguém precisa explicar a Moro como a coisa funciona.

(…)

A reportagem traz a informação de que uma testemunha implicou o presidente num eventual caso de caixa 2, bem como uma planilha da investigação. Ora, parece um caso grave, que pode propiciar investigação contra o presidente por ser eventualmente um crime conectado à obtenção do atual mandato.