Muito louco, Carluxo sugere que Moro está mancomunado com Alckmin

Carluxo dá chilique após Moraes bloquear Telegram
Carlos Bolsonaro / Reprodução

Não é de hoje que Carlos Bolsonaro (Republicanos), o Carluxo, alfineta e xinga o ex-juiz Sergio Moro no Twitter. Dessa vez, ele publicou, neste domingo (20), críticas à ausência de posicionamento de Moro em relação à suspensão do Telegram no Brasil.

No Twitter, o filho do presidente respondeu um comentário que questiona a opinião de Moro acerca da suspensão do Telegram no Brasil. “Qualquer cidadão gostaria de saber… Mas acho que será mais uma vez daquelas clássicas do não viu, não ouviu e nem falou! Teria método?”, provoca.

Ele ainda insinua, com print do próprio tuíte, possível cumplicidade entre Moro e Alckmin: “O seletivo sergio não deu um pio sobre delação do possível vice do ex-presidiário, ficou mudo sobre operação diante de suspeita de superfaturamento de respiradores no governo dória (PSDB), escorrega mais que bagre ensaboado nos casos MBL. E agora mais essa! ‘Terceira via’? Ok!”.

Leia mais:

1- Moraes revoga bloqueio do Telegram no Brasil neste domingo

2- “Era uma conta fake”, diz assessoria de Moro após foto de pênis no Telegram

3- Telegram derruba perfil com nome de Moro que compartilha pornografia

Sergio Moro no Telegram

Neste domingo (20), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes revogou a decisão que suspendia o funcionamento do Telegram no Brasil. Ele afirmou em decisão que as determinações impostas à plataforma foram integralmente cumpridas, o que permite a volta de seu funcionamento.

Segundo noticiou o DCM no ano passado, um post publicado no perfil do Twitter de Moro continha link para um canal do Telegram com conteúdo pornográfico. A mensagem ficou no ar durante 20 minutos antes de ser apagada. A foto era de um pênis de um homem negro. 

Essa não teria sido a primeira vez que a conta do ex-ministro foi invadida. Em 2019, reportagens baseadas num vazamento de conversas dele com a Lava Jato foram publicadas pelo site The Intercept Brasil, com os resultados conhecidos.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link