Aras toma providências após receber relatório da CPI

PGR braços cruzados
PGR tomou primeira providências após receber relatório da CPI; – Foto: Reprodução

Nesta quinta (28), o PGR, Augusto Aras, tomou as primeiras providências após o recebimento dos documentos entregues pela CPI da Covid.

Em despacho interno, Aras instaurou a abertura de uma investigação preliminar, por meio de uma “notícia de fato”, para apurar os crimes imputados ao presidente Jair Bolsonaro. A investigação abrangerá também os outros 12 políticos com foro cujo privilegiado indiciados no relatório final de Renan Calheiros.

Além da investigação, o PGR determinou o compartilhamento das informações com todos os procuradores do MPF responsáveis por investigar casos relacionados à pandemia. E encarregou a chefia de seu gabinete de receber os documentos sigilosos, que ainda não foram remetidos pelos senadores, e armazená-los na Secretaria de Perícia, Pesquisa e Análise do MPF, de onde poderão ser consultados pelos procuradores que trabalham com o assunto.

Leia também:

1; Anitta dá invertida em Bolsonaro: “Sabe mais da minha vida do que do país”

2; TSE avisa: “Questionar a urna é normal, espalhar fake news é crime”

3; Cátia Fonseca detona Mamãe Falei por fim da meia-entrada: “Ferrando o povo”

CPI foi pessoalmente entregar relatório para Aras

Nesta quarta (27), os membros da CPI foram à PGR entregar pessoalmente a Aras as conclusões da investigações.

A ideia dos senadores foi pressionar para que o MP  tome providências em relação aos crimes apontados no relatório final da comissão.

Na PGR, apesar de Aras enfatizar que analisará as imputações feitas a Bolsonaro, a percepção é que a maior parte dos crimes atribuídos ao presidente já foi apreciada pelo órgão e acabou arquivada no STF.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.